Mas e o couro? Ecológico ou Legítimo?

couros_post 004 copyRecebo muitos emails com dúvidas sobre os couros que usamos na confecção dos nossos produtos, por isso decidi escrever esse post para sanar as dúvidas e esclarecer qual é a posição do Lilou Estúdio com relação ao uso de couro animal e a responsabilidade ambiental.

A principal dúvida que recebemos é se o couro que usamos é “ecológico” (vou falar um pouco mais sobre ele abaixo) ou de origem animal. Usamos o couro de origem animal. Sim, estamos cientes de que diversos grupos ambientalistas e de direitos dos animais condenam o uso do couro animal, compreendemos e respeitamos a posição de todos.

Como recurso para fazermos a nossa parte na preservação do meio ambiente e diminuir a produção de novos insumos optamos por somente utilizar couro que é descartado pela indústria. Explico, as grandes industrias calçadistas e de vestuário utilizam grandes quantidades de matéria-prima (o couro) na produção dos seus itens e onde se utilizam grandes volumes sempre tem grandes descartes. Algumas empresas se especializaram na compra e revenda desse material que em muitos casos são peças de tamanho considerável ou até peles inteiras com pequenos defeitos que são mais que suficientes para a produção de cadernos e é numa dessas empresas que eu adquiro o nosso couro.

Aliás é por isso que dificilmente consigo reproduzir o mesmo sketchbook ou grimório mais que 2 vezes. O que não nos incomoda nenhum pouco, afinal cada cliente tem um peça (quase) exclusiva e nós estamos sempre renovando os produtos!

couros_post 012 copy

Aí sempre vem aquela pergunta, mas porque você não usa “couro ecológico”? Primeiro precisamos estabelecer uma coisa: o couro que aquela vendedora do shopping te apresentou como “couro ecológico” não é couro e sim um tecido coberto com uma camada de PVC ou PU (poliuretano), ambos derivados do petróleo, por isso nem tão ecológico assim. Esse é só um ponto mas o real motivo por não usarmos esse tipo de material é a durabilidade.  UPDATE: O Couro legítimo se bem cuidado pode durar muitas décadas (e talvez até uns séculos! Temos exemplos vários livros antigos preservados!)

Produzimos itens para serem eternos, afinal as lembranças, pensamentos, desenhos e sonhos das pessoas estarão registrados nos nossos cadernos, grimórios e sketchs e eles não podem simplesmente se desfazer em suas mãos, né?

Mas o “couro ecológico” dura quanto tempo? Eu não sou nenhuma especialista, mas as peças de vestuário que eu tenho com esse material (sim, gente, sou igual todo mundo e já comprei uma jaqueta de PU) começaram a esfarelar em média depois de 3 anos. Tirei uma foto de uma jaqueta que comprei em 2010 e dá pra ver o “couro” se desfazendo.

couros_post 020

Compramos uma jaqueta de nylon para o meu marido na nossa lua de mel que tinha alguns detalhes em “couro ecológico” e realmente tinha, porque no lugar dos detalhes ficaram apenas a base de tecido do “couro”.

UPDATE: Existe uma modalidade de “couro sintético” que é desenvolvido para revestimento de livros que se bem aplicado e usado como revestimento de livros de capa-dura tem uma ótima durabilidade e acabamentos excelentes, como bem disse o Pablo num comentário abaixo. 

É isso gente. Não queremos convencer ninguém a começar a consumir itens em couro e sim expor o motivos pelos quais o Lilou Estúdio só utiliza couro legítimo.

Se você discorda da gente, por favor, deixe a sua opinião nos comentários.

41 Comments on Mas e o couro? Ecológico ou Legítimo?

    • Lilou Estúdio
      2 de setembro de 2013 at 19:20 (4 anos ago)

      Pois é, Zilah! Já dei essa explicação tantas vezes por email e nunca havia falado pra todo mundo. Bjs!

      Responder
  1. Lou Grimes
    2 de setembro de 2013 at 19:17 (4 anos ago)

    Adorei a explicação, é importante entender o porque da escolha de cada um…

    Responder
    • Lilou Estúdio
      2 de setembro de 2013 at 19:20 (4 anos ago)

      Que bom que gostou, Lou! 😉

      Responder
  2. Fernanda
    2 de setembro de 2013 at 19:26 (4 anos ago)

    Nossa,
    fico mesmo muito triste em ler esse post.

    Se esquecem que matando bichos, também não estão preservando o meio ambiente? Sabem o impacto que causa cada
    vaca morta, os litros de água, o desmatamento, a poluição e muitas outras coisas?
    Já pesquisaram como é triste a vida deles, sabem que eles não pastam lindamente como mostra
    os comerciais de tv?

    Me entristece saber que em pleno século 21, vocês ainda pensem que tem que ser couro animal pois
    precisa durar pra sempre. Até mesmo diamante pode lascar, nada é pra sempre, em 3 anos a pessoa já
    escreveu e guardou seu caderno. E se ele se desfazer, o que eu não acredito que aconteça tão facilmente pois aqui você fala em bolsa, sapato, jaqueta, itens que se usa com frequência e é bem mais fácil estragar, mas, QUANDO se desfazer, faz parte do processo da vida, são marcas
    de muita escrita, marcas da história de cada caderno.
    Jamais compraria um caderno que fosse forrado com pele de um bicho morto, é cruel,
    Isso pra mim não é nem um pouco visionário, é atrasado demais.

    Só acho que precisam se informar, o pra sempre custa caro, pros bichos, pro planeta.

    Responder
    • Lilou Estúdio
      2 de setembro de 2013 at 19:33 (4 anos ago)

      Oi, Fernanda!
      Entendemos a sua posição e estamos cientes que NADA é como nos comerciais de TV.
      Exatamente por isso que SÓ usamos matéria-prima que já foi descartada pela indústria, assim não estamos criando novas demandas e sim aproveitando um material dispensado.
      Obrigada pelo comentário e estamos aqui pra ouvir a opinião de todos.

      Responder
      • Ligia
        22 de agosto de 2014 at 19:31 (3 anos ago)

        eu sinceramente acho que as vacas por exemplo são mortas todos os dias para manter o consumo alimentício da população, então não acho um motivo pelo qual deve-se estragar o couro já que pode-se ser aproveitado em nosso benefício, se o animal já está morto pq não usar algo que será desperdiçado?

        Responder
        • Fernando
          2 de maio de 2015 at 3:45 (2 anos ago)

          Mesmo que todos deixassem de usar couro os animais continuariam a serem mortos, o consumo de carne é muito alto.

          Responder
    • Luana
      3 de julho de 2015 at 13:38 (2 anos ago)

      Fernanda, eu entendo teu ponto e ainda não tenho opinião formada sobre qual dos tipos de couro é menos prejudicial. Porém, tens que pensar que, embora os materiais se desfaçam e isso seja “parte do processo de vida”, provavelmente quando uma jaqueta tua ficar inutilizável, tu vais comprar outra, e quando acontecer de novo vais comprar outra, e assim por diante. Ou seja, em vez de realizar essa compra uma ou duas vezes na tua vida inteira, no caso de um material durável, tu vais realizar ela várias vezes, exigindo a cada nova aquisição um dispêndio de matéria-prima (que será que é produzida ecologicamente?), energia elétrica, combustível para transporte e, pior, gerando LIXO cada vez que uma coisa estraga e é colocada fora.
      A gente vive num mundo onde todas as grandes empresas querem mais é que o produto estrague ou a moda mude pra que o indivíduo precise consumir sempre e muito. É preciso pensar sobre isso.
      Depois de comprar 2 mochilas de tecido e “couro ecológico” nos últimos 3 anos, e que se desfizeram rapidamente, estou pensando agora em pagar mais caro e comprar uma de couro animal, porém que vai durar muito mais! Mas ainda estou pesquisando, então se quiser contrapor o que eu disse será bem-vida 🙂 Abraços

      Responder
    • Debora
      25 de setembro de 2015 at 9:13 (2 anos ago)

      Já li em reportagens que o couro utilizado na confecção de roupas e demais objetos não vem das mesmas vacas usadas para alimentação, os animais são criados somente para esse consumo, cas seja verdade, o pensamento “veganista” não se aplica…

      Responder
    • will
      26 de novembro de 2015 at 2:04 (2 anos ago)

      Mas se você já vai matar a vaca, para comer sua carne, o que custa, aproveitar também o couro? ninguém vai matar um boi, só pelo couro…

      Responder
  3. Fernanda
    2 de setembro de 2013 at 19:46 (4 anos ago)

    Me desculpe,
    mas quem cala consente!
    Não reduz em nada vocês comprarem a descartada ou não descartada. Eles continuam lá, sofrendo e morrendo, pra satisfazer
    diferentes tipos de coisas, mas enfim, isso nem vem ao caso.
    Penso que é um atraso tremendo, pois visando o futuro, não é sustentável, não é legal.
    Até mesmo muitas universidades no Brasil são proibidas de realizar testes em animais, e muitos destes testes, não são nem morte, mas
    é proibido, pois HÁ ALTERNATIVA. Na Europa a indústria de cosméticos também não pode realizar testes.
    Me faz pensar que não estão preocupados com o valor que o país deixará de arrecadar com esta indústria enorme que é a
    de cosméticos, mas sim, que enxergaram além e viram o quanto é cruel.
    E as empresas continuam lá, fazendo os mesmos cremes, perfumes, com outras tecnologias, o que é maravilhoso.

    Torço para que vocês pensem além, sei que são capazes de criar peças lindas e únicas com materiais sem crueldade.

    Abraço

    Responder
    • Michael Douglas
      21 de outubro de 2014 at 17:56 (3 anos ago)

      Boa Tarde Fernanda, bom gostaria que entenda que nós consumidores (como eu por exemplo que uso couro legítimo e Ecológico) não estamos matando nenhum animal somente para usar seu couro, o que ocorre é o seguinte, as vacas e bois são mortos para manter o consumo alimentício da população, logo o couro desses animais acabam sendo meio que “reciclado” por nós, usamos o couro para fazer roupas, forro de moveis, então eu entendo o seu lado, mas não somos nós que devemos repensar e sim as industrias de produtos alimentícios o que não vai ocorrer, assim como você citou as industrias de cosméticos na qual eu sou contra o uso de animais em testes, sei também o quanto a produção de produtos a base de couro bovino é poluente ao meio ambiente, por isso como eu avia te dito eu uso tanto legítimo quanto ecológico que é bem menos poluente, bom gostei do seu ponto de vista, um abraço.

      Responder
    • Fernando
      2 de maio de 2015 at 3:45 (2 anos ago)

      Mesmo que todos deixassem de usar couro os animais continuariam a serem mortos, o consumo de carne é muito alto.

      Responder
  4. Pablo
    2 de setembro de 2013 at 19:52 (4 anos ago)

    Alou Lilou Estúdio! Li o post e achei bem legal, mas vale ressaltar que o “couro ecológico” de vestuário não é o mesmo revestimento próprio para encadernação. Tenho visto aqui em meu ateliê MUITOS livros e materiais em couro legítimos bem destruidos, então a questão da durabilidade entre um e outro varia muito. Como o couro legítimo é de origem animal, ele requer cuidados que a maioria não tem, como hidratação e higienização anualmente. Acho importante ressaltar isso no post. Mais vale um bom revestimento sintético do que um couro legítimo que não terá os devidos cuidados… 🙂
    Não quero nem entrar na questão ecológica, mas dizer que PU e derivados “nem são tão ecológicos assim” não justifica a escolha do couro legítimo porque o buraco é BEM mais embaixo!
    A justificativa da durabilidade não tem fundamentação. Matéria orgânica é muito mais perecível que material sintético PRÓPRIO para encadernação.

    Responder
    • Lilou Estúdio
      2 de setembro de 2013 at 20:12 (4 anos ago)

      Oi, Pablo! Concordo com você em vários pontos. Sim o couro legítimo precisa de cuidados, assim como qualquer material. Se você der uma olhadinha nos meus produtos vai ver que apenas 2 itens em couro são revestidos (nesses o sintético até funcionaria melhor), os demais são são cortados a fio (sem acabamento), utilizados de uma maneira “rústica” e o material sintético específico para encadernação não funcionária bem. E sim, nesse caso o argumento da durabilidade se aplica, pois a capa seria manuseada, dobrada, curvada, o que desgastaria rapidamente o material de forma irreversível.
      O que acha?

      Responder
    • Lilou Estúdio
      2 de setembro de 2013 at 20:18 (4 anos ago)

      Adendo feito no post Pablo. 😉

      Responder
  5. Jordana
    4 de setembro de 2013 at 11:41 (4 anos ago)

    Nossa, como tem gente chata no mundo, rs. Meu, cada um é cada um, se você não quer comprar um caderno de PELE DE BICHO MORTO (óh drama) não compre e não encha o saco de quem vende nos comentários. Acho até legal UM comentário explicando a razão do porque não compraria e dando sua opinião pessoal (de modo menos drama queen, de preferência) mas ficar escrevendo mil motivos dramáticos já é bem inconveniente, tanto pra dona do blog que já fez todo o esclarecimento acima quanto pra quem está lendo os comentários.

    Responder
    • Morena
      28 de março de 2014 at 19:25 (4 anos ago)

      Inconveniente é fazer tamanha crueldade com os animais!!! Será que você gostaria que fizessem couro da pele da sua família? Pois é, os bezerros também não. Então não é questão de opinião e sim de compaixão. Daqui a pouco não poderemos “perturbar” o pobre de um traficante e assim por diante. Deixa quem quiser comprar o que quiser, sendo isto ético ou não? Desculpa se algumas pessoas com mais consciência e que tentam olhar um pouco além do próprio umbigo estão tentando fazer desse mundo um lugar com mais amor e compaixão.

      Responder
  6. Pati
    11 de setembro de 2013 at 15:57 (4 anos ago)

    O animal já está morto, alguém já consumiu ou consumirá a carne, pra horror dos “vegetarianos”!
    Por que não aproveitar o couro e dar a ele um destino mais digno do que simplesmente descartar e esperar que se desmanche na natureza?!
    O assunto é polêmico, mas enquanto houver quem coma carne, haverá criação de gado, seja confinado, ou “orgânico”. Como o couro não pode ser comido, deve ser aplicado em outras coisas. Simples assim!

    Muita bacana o trabalho de vocês!

    Responder
    • Tatiana - Adobradeira
      29 de julho de 2015 at 13:30 (2 anos ago)

      Pati, concordo 100% com você, parece que leu meus pensamentos. Reaproveitamento de materiais. Não somos nós que matamos os animais, mas não vejo problema nenhum em usar o descarte de outros.

      Responder
  7. Mary
    12 de setembro de 2013 at 23:34 (4 anos ago)

    Grimório? Que tipo de grimório e qual a finalidade dele? Não sei vocês, mas o que entendo por grimório, como wiccana, é o caderno onde escrevo e anoto tudo na minha vida relacionado à magia, desde experiências até rituais e receitas de chá. E eu nunca, JAMAIS usaria um grimório feito com capa de pele de animais. Não tem justificativa nada do que vocês falaram. O fato de usarem couro, mesmo que seja o que seria dispensado e jogado fora, só fortifica e enraiza a idéia do consumo do couro, de que realmente precisamos dele pra viver e tudo o mais, até mesmo pra um caderno idiota. Me desculpem mas isso é ridículo, e uma empresa tão “moderna” como a que vocês julgam ser devia se preocupar mais com sustentabilidade,em pleno 2013, ao invés de ficar usando couro sem necessidade.

    Responder
  8. Renata
    8 de outubro de 2013 at 0:04 (4 anos ago)

    Não vejo problema algum em usar couro legítimo/original/animal pois ele dura muito mais!
    Nada contra os animais mas a realidade é essa, eles já estão mortos e ponto final.
    Muita frescura.
    Essa gente que se diz vegetariana/vegana/ecológica DUVIDO muito que tenham nascido assim pois nenhum ser humano nasce com essa condição.
    Enfim, aprovo a utilização do couro até porque vocês pegam um couro que é rejeitado pela indústria!
    Quanta gente fresca nesse mundo!
    Eu AMO leite, amo ovos e curto muito carne de frango e DAÍ?
    Sério, tempestade em um copo d’água!

    Se amam tanto assim os animais que montem uma fazenda, que se casem com as vacas ou as cultuem (como fazem os indianos).

    XOXO

    Responder
    • Beatriz
      12 de setembro de 2014 at 15:22 (3 anos ago)

      Claro! Porque não ignorar o sofrimento de um animal é muita frescura mesmo! Animais são utilizados como mercadoria todos os dias, torturados e mortos. Sinto muito que você ame leite, ovos e carne. Só te digo uma coisa, isso não é sobre o que você gosta, é sobre a triste situação que os animais passam pra satisfazer o paladar da maioria das pessoas. Não nasci vegetariana, pelo contrário, fui criada comendo e consumido tudo o que fosse de origem animal. Eu amava atum, amava comer frango, pizza, tomava leite direto… Mas decidi “sacrificar” aquilo que gostava por um bem muito maior, que com toda certeza desse mundo não é frescura!

      Responder
  9. Ângela
    18 de julho de 2014 at 12:53 (3 anos ago)

    Adorei as explicações, respeito a opinião de cada um, mas também tenho a minha. Durabilidade é uma questão importante.O couro ecológico tem custado quase o preço do couro legítimo e esfarela mesmo após 3 anos. Já experimentei: é horrível!!! Também torço para que os ambientalistas expandam mais o pensamento. Estamos vivendo numa sociedade muito consumista onde tudo se torna descartável e os materiais tem cada vez menos qualidade lotando os lixões. Sustentabilidade sim, mas com qualidade e consciência, porcaria de alto custo não!

    Responder
  10. Saka
    14 de agosto de 2014 at 20:35 (3 anos ago)

    Eu confesso que ainda não entendo muito bem a diferença entre o couro sintético e o couro ecológico mas o que eu ouço por aí é que um é bem diferente do outro, mas no texto de vocês não explica nada e até me confundiu mais. Aparentemente vocês colocam o couro ecológico como se fosse a mesma coisa que o sintético. E eu ACHO que não é bem assim.

    Responder
    • Danúbia
      22 de setembro de 2014 at 15:09 (3 anos ago)

      Saka, é exatamente isso mesmo, só para ficar bonito o nome, para não chamar de sintético chamam de COURO ECOLÓGICO agora, tanto que um conhecido meu foi ao shopping e estava escrito isso na vitrine, ele fez uma denuncia e a loja teve q retirar a propaganda de COURO ao material que estavam se referindo, porque não existe COURO ECOLÓGICO, ou o produto é couro retirado de um animal, ou ele é sintético.

      Responder
        • Danúbia
          7 de dezembro de 2014 at 15:44 (3 anos ago)

          bom cada um acredita naquilo q quer acreditar né, matéria mais sem nexo nenhum, pois couro de verdade é o extraído do animal, trabalhei em curtume 5 anos e meu marido vende couro, o que eles querer propor nisso é fazer o consumidor a acreditar que o sintético transformado em couro ecológico por usar papel é muito melhor ao meio ambiente, que ele pode se desfazer melhor com o tempo, pois o couro de verdade dificilmente de acaba. Inventar um nome é uma coisa, agora provar que é couro é totalmente outra coisa…tenho uma carteira como dizem couro ecológico ela é revestida por uma pintura que deve ser a mesma que pintam o couro mas por baixo é um tecido e papelão.

          Responder
      • EDU
        31 de janeiro de 2017 at 18:19 (9 meses ago)

        Sintético – (plasticos de petróleo)
        Ecologico – (seringueira)
        NAtural – (animal)

        Responder
  11. Danúbia
    22 de setembro de 2014 at 15:04 (3 anos ago)

    As pessoas que estão criticando a matéria sobre usar o couro animal, espero de coração que são vegetarianas, pois já trabalhei em Curtume e os couros que chegavam eram couros bovino, aos quais muito de vocês não conseguem ficar sem um alimento deles por dia.
    Então ninguém esta sacrificando um animal só para retirar a pele dele, isso é só uma parte do processo, antes disso é retirado várias peças de carne que com certeza entra em sua casa.

    Responder
  12. Tatiana
    8 de outubro de 2014 at 10:40 (3 anos ago)

    O “couro ecológico” realmente só tem o nome para atrair o mercado. O que eu penso sobre isso é que não é nada ecológico usar produtos sintéticos de baixa qualidade e durabilidade. E o aumento do consumo e a geração de lixo? Sem falar da propria materia prima usada, que por sua vez também não é nada neutra ambientalmente, e me atrevo a dizer que é ainda pior que o couro legitimo.

    Quanto a esse último, enquanto houver quem consuma a carne desses animais, pode haver a producao de couro. É claro que tenho consciencia de que é muito cruel com a vida deles. Pensar em termos ecológicos não é pensar nos animais apenas, e sim no equilibrio dos ecossistemas naturais. Eu penso que a producao de sinteticos é muito mais prejudicial ao ambiente do que a producao de couro, uma vez que se tira o petroleo de pocos que naturalmente não seriam tocados, e o lixo gerado é dificilmente degradado (ou se for esta contribuindo para a emissao de co2). Não se deve pensar nisso como um acontecimento apenas, e sim um ciclo, pois quanto mais compramos, mais os produtos se estragam, e mais compramos; gerando mais e mais lixo. O couro é mais duravel, sendo assim não ha necessidade de frequente consumo (de roupas, calçados..)

    Eu acho muito curioso as pessoas se “rebelarem” contra os maltratos aos animais, não comerem sua carne, não usarem seu couro… Mas substancialmente deixarem de lado um animal que forma nossa propria sociedade: o humano. Muitas vezes preferimos comprar um produto sem ao menos conhecer suas origens ou pior, negando suas origens. Produtos baratinhos sao maravilhosos pro bolso, mas e as pessoas que trabalharam pra produzi-los? Como vivem? Quais sao suas condicoes de trabalho? Atualmente, se sabe que muitos produtos sao feitos com mao de obra ESCRAVA. Muito provavelmente estamos cercados por alguns deles. Isso também é crueldade, sem duvida! Cade os ativistas pra defenderem essas pobres pessoas?

    Se vocês se preocupam tanto façam uma capa de papel reciclado ou de plastico reciclado, usem a criatividade!

    Responder
  13. @sojacity
    20 de novembro de 2014 at 13:47 (3 anos ago)

    fiz uma pesquisa referente a couro ecológico e descobri que classificam como couro ecológico aquele couro que tem curtume feito com materiais que nao agridem o meio ambiente, o couro de PU é couro sintético.

    Responder
  14. maik
    27 de maio de 2015 at 22:37 (2 anos ago)

    couro é durabilidade que é igual a anti consumismo…algumas peças haveriam de ser feitas de couro(jaqueta de motociclista) por que a classe(só enxergo como classe) humana mesmo sendo uma praga, é mais importante do que qualquer outra…. sou contra a covardia – maltratar o animal e/ou manter preso tem que haveruma caçada tem que haver um ritual tem que ser sagrado…eu sei como dói olhar para esse animais criandos aos montes para satisfazer os humanos mas se querem a mudança tem que começar a desfazer a cidades, procurar espaço para produzir vegetais, não podemos dizer que somos felizes usando a carne para satisfazer quase met ãde de nossa dieta(alguns loucos vão além) a origem genetica do homen não ta formatada pra viver por falar nisso os animais com metabolismo preparado pra viver a base de carne são fortes, e ferozes e breves(vivem pouco) para o tanto que o homem( e mulher) deseja…misturado á gurdura la se vai estômago e intestino grosso pro pau…então termino dizendo : cada um que se vire pra atingir o seu limite(quem ta ligado sabe que o resto é pó)

    Responder
  15. fabio
    17 de junho de 2015 at 1:51 (2 anos ago)

    Interessante o assunto, o couro animal realmente tem uma maior durabilidade. Só que se você ver o processo de tortura que os animais passam para que esse couro exista com certeza se tiver um coração que bate e é quente aí nesse peito vai parar de produzir materiais com essa material, não importa se compra sobras ou a peça em si, o que importa é que você compra e comprando estimula o mercado do couro animal a continuar a detonar os animais em pró da vaidade superficial das emoções humanas. Também não importa se o courino, sintético ou ecológico se desgasta mais rápido, afinal… depois de 3 anos já está na hora de renovar o guarda-roupa. Obs: Couro ecológico é a denominação para dizer que não utiliza-se materia prima animal e não que é feito de folhas!

    Responder
    • Sabrina
      24 de janeiro de 2016 at 18:33 (2 anos ago)

      Como pode escrever tanta abobrinha???? Leia mais!!!!!

      Responder
  16. Cida
    16 de julho de 2015 at 10:50 (2 anos ago)

    Os animais como vaca e frangos são reprodutivos! E por isso são retornaveis à natureza!

    Responder
  17. Sabrina
    24 de janeiro de 2016 at 18:31 (2 anos ago)

    Infelizmente você explicou tudo errado,o couro ecológico — apesar do nome — é um produto de origem animal, extraído a partir da pele de bovinos, jacarés, peixes e rãs e vem sendo cada vez mais utilizado como uma alternativa sustentável na fabricação de roupas, calçados, acessórios para carros e objetos decorativos.

    A principal vantagem da utilização deste tipo de material está em seu processo produtivo que, além de reduzir drasticamente o consumo de aditivos químicos poluentes, gera bem menos danos à natureza que os demais modelos de produção. Outros diferenciais estão no valor mais acessível e na durabilidade, semelhante à do couro legítimo.

    A roupa a qual voce se refere é de couro sintético e não, couro ecológico.

    Responder
  18. Milena
    13 de maio de 2016 at 3:53 (1 ano ago)

    Olá Danieli!
    Desculpe, mas sou obrigada a descordar quanto ao item poluição ambiental. Sou formada em Química industrial e posso te dizer com propriedade que a indústria do couro é uma, das mais poluentes que existem pois além de descartar grande quantidade de matéria orgânica em rios e córregos (essa matéria orgânica serve de alimento para bactérias anaerobicas que acabam com o oxigênio da água), ainda utilizam uma quantidade enorme de produtos químicos tóxicos e perigosos para o meio ambiente e para quem trabalha no processo produtivo.
    Realmente o PU apesar de ser mais caro tem menor durabilidade do que os demais sintéticos, porém voce encontra no mercado sucessos revestimentos com excelente durabilidade.

    Responder
  19. Rogério Lima
    24 de fevereiro de 2017 at 15:27 (8 meses ago)

    No Brasil existe a lei 4.888/65, que determina que apenas produtos feitos em pele animal podem receber a denominação “couro”. O couro é aproveitado por que o rebanho brasileiro é um dos maiores do mundo. Têm pessoas que acham que usando material sintético estão “ajudando” a natureza…isso é ilusão. Para se fazer o suposto couro ecológico ou sintético usa-se tantos produtos químicos que os resíduos da fabricação e do descarte vão ficar na natureza poluindo por centenas de anos.

    Responder

Leave a Reply